Câmara Municipal, Transporte

O Plenário É Soberano

Na Câmara Municipal de Natal, nesta terça (4), vereadores confundiram até eles mesmos. Emenda sobre isenção de pagamento de idosos a partir dos 60 anos faz bancada de oposição jogar um contra o outro contra a opinião pública.

O projeto da prefeitura diz que, na licitação, as empresas não cobrarão mais dos idosos em dez anos. A emenda do vereador Sandro Pimentel (PSOL) diz que, em até cinco anos, a prefeitura tem que dar a gratuidade para os idosos a partir de 60 anos. Já a emenda da vereadora Ana Paula (esposa do ex-vereador Júlio Protásio), do PSDC, quer a gratuidade de imediato.

De imediato a Prefeitura do Natal já disse que não tem como fazer sem aumentar a tarifa, tendo em vista que quem paga a passagem inteira arca com todas as gratuidades.

Fato é que nessa discussão, a vereadora Ana Paula disse que votar na emenda de Sandro Pimentel é uma manobra do governo. Esqueceu do posicionamento do colega vereador. E o vereador do PSOL fez questão de dizer que é oposição ao governo municipal desde sempre. Ou seja, a bancada de oposição está estraçalhada na votação desta emenda. Inacreditável.

O maior problema, na verdade, foi que Sandro Pimentel apresentou a emenda bem antes da vereadora do PSDC, e a defesa dos vereadores, em senso comum, é o cumprimento do regimento interno.

Ganhou a emenda do vereador Sandro.

Câmara Municipal, Prefeitura, Transporte

”Se a Licitação Tiver Cláusulas Mirabolantes, Seturn Continuará com o Poder”, Adverte Nina Souza

Ao avaliar a tentativa da oposição de colocar muitas cláusulas que encarecem o preço da passagem e outras que inviabilizam as empresas de terem interesse no transporte de Natal, a vereadora Nina Souza (PDT) ressaltou, nesta segunda-feira (3), que isso faz o transporte ficar nas mãos do Seturn.

“Quanto mais emendas que venham a inviabilizar a licitação dos Transportes, mais tempo o Seturn comanda. Para o município passar a ter o controle, precisamos de uma licitação de pés no chão, dentro da nossa realidade, sem cláusulas mirabolantes, para termos um contrato e podermos cobrar o cumprimento de cada item”, avaliou Nina Souza.

A vereadora explicou que, no momento delicado da economia brasileira e da potiguar, as exigências muitas vezes apresentadas pelos vereadores tornam a licitação pouco atrativa.

“Os dois lados precisam ceder. Creio que aprovamos diversos avanços e melhorias, mas algumas particularidades não têm como serem inclusas, porque tornam o preço da passagem inacessível para o consumidor. Precisamos ser objetivos, diretos e principalmente sóbrios, no que vamos acrescentar”, finalizou Nina.

Internacional, Transporte

Ministro dos Transportes da Alemanha Quer Abrir Mercado Para a Uber Até 2021

Titular da pasta quer facilitar regras para empresas de aplicativos de transporte. Uber nunca deslanchou no país europeu por causa de conflitos com leis locais.

O ministro dos Transportes da Alemanha, Andreas Scheuer, quer abrir o mercado do país europeu para os serviços de compartilhamento de viagens de carros oferecidos por empresas como a Uber até 2021, informou neste sábado (17/11) a revista alemã Focus.

Segundo declarações de Scheuer á revista, serviços oferecidos pela Uber e outras empresas podem ajudar a suprir a demanda por transporte em regiões com pouca oferta de serviços, como áreas rurais.

O ministro dos Transportes também disse que deseja mudar as leis existentes para permitir que esses prestadores de serviço operem normalmente na Alemanha.

“Podemos criar novas possibilidades, especialmente em áreas rurais e para pessoas mais velhas, com serviços de carro e sistemas de compartilhamento”, disse Scheuer, que é membro da conservadora União Social-Cristã (CSU) da Baviera. “Essa é uma oportunidade gigantesca.”

A Uber, empresa avaliada em cerca de 70 bilhões de dólares (260 bilhões de reais), nunca decolou na Alemanha. O modelo de motorista freelancer entrou em conflito com as leis existentes. Atualmente, apenas taxistas licenciados pelas autoridades locais podem aceitar corridas.

“Sou contra proibições e limites. Sou a favor de incentivos”, disse Scheuer à revista. “Não podemos simplesmente excluir um fornecedor de serviços”.

O ministério de Scheuer tem trabalhado na reforma das leis de transporte de passageiros. Não ficou claro se a permissão para o serviço de compartilhamento de viagens é parte do processo de reforma em andamento.

A Uber, que atua em mais de 60 países, enfrentou batalhas legais com motoristas de táxi e autoridades municipais quando fez sua primeira incursão na Alemanha em 2014 – assim como ocorreu em outros países. Seu modelo de negócios de uso de motoristas de táxi não licenciados foi considerado ilegal por um tribunal alemão. A Uber também enfrentou proibições similares em várias outras cidades europeias.

Atualmente, o aplicativo da Uber só oferece viagens com taxistas licenciados em Berlim e Munique. A empresa pretende ter uma presença em todas as grandes cidades alemãs até 2020.

Fonte: Deutsche Welle

Tecnologia, Transporte

Uber Lança Aplicativo Mais Leve e Motoristas Terão Desconto em Gasolina

A disputa de aplicativos de transporte por passageiros e motoristas ganhou um novo capítulo nesta terça-feira. Durante um evento nesta manhã, a Uber anunciou o lançamento do Uber Lite, um aplicativo mais leve e que ocupa menos de 5MB de memória no download, focado nos passageiros com smartphones mais simples e sem muito espaço na memória. Além disso, a plataforma investirá no Uber Cash, com incentivo da modalidade de pagamento pré-pago.

Os cartões pré-pago com créditos serão vendidos em 5 mil varejistas do país, como Americanas.com, e os créditos também poderão ser adquiridos em bancas de jornais, a partir de quarta-feira. O saldo será liberado quando o usuário incluir o código informado na compra dos créditos. Como benefício, será possível ganhar até 5% de abatimento. Na avaliação da empresa, a medida aumenta a segurança dos motoristas que não precisarão carregar mais grandes quantias de dinheiro.

Segundo a plataforma, o programa Uber Lite funciona mesmo quando a internet está falhando e possui um design mais simples. O mapa, por exemplo, só aparece caso o usuário queira utilizar essa funcionalidade.

O app é uma solução para o nosso tipo de conexão, para pessoas com smartphones sem espaço de memória e ou que têm planos pré pagos”, disse Adriana Gomes, diretora de marketing para o Brasil.

Já Rob Daniel, diretor de produtos financeiros, destacou as vantagens do Uber Cash em relação às dificuldades no pagamento com dinheiro, como o motorista não ter troco.

Durante o evento, Manik Gupta, vice presidente e diretor de produto da empresa, destacou que o Brasil é o segundo país em número de corridas, atrás apenas dos Estados Unidos. Também anunciou um investimento de mais de R$ 250 milhões nos próximos cinco anos no país.

Novidades para motoristas

Para os motoristas, a novidade é que terão descontos de até 5% na gasolina nos postos da rede Ipiranga, ainda neste ano. Além disso, uma linha de microcrédito foi criada para financiar até 100% da instalação do kit gás para os parceiros. O projeto piloto começa no mês que vem, na Região Sul, e a empresa ainda não informou quando será liberada em estados de outras regiões.

Outra novidade é que, a partir do meio de outubro, corridas pelo Uber Pool, em que vários passageiros compartilham o mesmo carro, sairão 35% mais baratas do que o UberX, com o motorista recebendo o mesmo que receberia por corridas na modalidade X. Os testes começarão em outubro, em São Paulo. Para que os trajetos sejam mais curtos, as rotas serão mais bem alinhadas e, em alguns casos, os usuários serão orientados a se deslocarem a pontos de embarque próximos.

“Esse projeto pode diminuir congestionamentos e a poluição”, destacou Ethan Stock, diretor de produtos compartilhados da Uber.

Concorrência

Essas parecem ser algumas respostas da empresa à concorrência da 99, que passou a adotar estratégias mais agressivas desde que foi adquirida pela plataforma de transporte chinesa DiDi Chuxing, em janeiro deste ano. Desde semana passada, as corridas da 99 ficaram 7% mais baratas na capital carioca. Além disso, houve redução da taxa cobrada pelo aplicativo dos motoristas. Antes, 12,99% do valor de cada corrida eram transferidos para a 99. Agora, a taxa é de 7,99% na capital e 4,99% na Região Metropolitana.

A 99 também investiu pesado na publicidade e criou a campanha “Recalcula”, com publicidade veiculadas na TV e nas redes sociais que buscaram mostrar as vantagens para passageiros e motoristas da plataforma em comparação à concorrência. Além disso, vem promovendo várias ações com descontos. No primeiro turno das eleições, por exemplo, a empresa promete desconto de 50% para os 10 mil primeiros usuários das capitais brasileiras que usarem o código “99democracia”.

Fonte: Agência O Globo

Mobilidade, Transporte

Como Nasceu o Primeiro Sistema de Transporte Coletivo do Mundo

Carruagem

Considerado um dos grandes pensadores da humanidade, o francês Blaise Pascal (1623-1662) estava longe de atuar apenas no campo das ideias.

Conhecido por seus teoremas matemáticos e tratados filosóficos estudados até hoje, poucas pessoas sabem que, no século 17, o matemático, que inventou a primeira máquina de calcular da história, criou algo que também mudaria para sempre a vida das pessoas nas grandes cidades: o transporte coletivo. Graças ao espírito inquieto de Pascal, o transporte urbano mundial tem até data de nascimento: 1662.

Para facilitar a vida dos cidadãos, Pascal desenvolveu um sistema de transporte urbano de carruagens com itinerários fixos, tarifa e horários regulares. O filósofo sugeriu ao duque de Roaunez pedir permissão ao rei Luis 14 para explorar o serviço, no que foi atendido. Naquela época, Paris já era uma grande cidade com cerca de meio milhão de habitantes, mas as pessoas que não tinham meios próprios se deslocavam de um lugar para outro, na maior parte das vezes, a pé.

transporte_decretoluisxiv

Para facilitar a vida dos cidadãos, Pascal desenvolveu um sistema de transporte urbano de carruagens com itinerários fixos, tarifa e horários regulares. O filósofo sugeriu ao duque de Roaunez pedir permissão ao rei Luis XIV para explorar o serviço, no que foi atendido. A passagem do sistema pioneiro custava cinco “sols”, oriunda de “sou”, moeda que circulava na França na época de Luis XIV. Eram três linhas iniciais. A primeira servia entre a porte Saint-Antoine e o Luxembourg e começou a operar em 18 de março de 1662.

Em 11 de abril foi inaugurada a segunda linha, que ia da Rue de Saint-Antoine até a Rue Saint Honoré. A terceira e última rota foi aberta em maio daquele ano e ligava o bairro de Montmartre ao Luxembourg. A novidade foi um sucesso entre a população parisiense, conforme depoimento da própria irmã de Pascal, Gilberte Pérrier, presente ao evento de inauguração: “O ‘estabelecimento’ iniciou sábado às sete horas da manhã, mas com um brilho e pompa maravilhosos. Distribuíram-se as sete carruagens que ocuparam esta primeira rota”, registrou Gilberte.

Mas na viagem inaugural já começaram os conhecidos problemas de mobilidade urbana e transporte enfrentados pela população até hoje. “A coisa obteve tanto sucesso que, desde a primeira manhã, havia uma quantidade de carruagens cheias; mas, depois do almoço, havia uma multidão tão grande que não se podia se aproximar delas, e os outros dias foram iguais. De modo que o maior inconveniente delas é aquele temido: a multidão nas ruas esperando uma carruagem, mas quando ela chega está cheia.”

“Havia alguns (passageiros) que diziam que ele foi perfeitamente bem inventado, mas que era uma grande falha só ter sete carruagens na rota, e que elas não davam nem para a metade das pessoas que dela necessitavam”, completou a irmã de Pascal – ele, por causa da saúde precária, morreu no mesmo ano em que o seu invento foi para as ruas.

O sistema funcionou por mais alguns anos, mas devido a problemas como a administração, foi encerrado e só surgiria novamente na Europa muito tempo depois. A invenção de Pascal surpreende de forma positiva até os estudiosos em Ciências Humanas. “Imaginamos que os grandes filósofos estão sempre no mundo das ideias e longe do cotidiano das pessoas, o que não é verdade”, explica o filósofo Luis César Oliva, professor do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP).

“Quando estudamos a vida deles a fundo, descobrimos o quanto eles eram humanos e tinham um cotidiano como nós, o que é incrível”, completa Oliva, que fez o seu mestrado e doutorado sobre a obra de Blaise Pascal. “O ensino formal geralmente fica muito em cima das grandes obras filosóficas e esquece que os pensadores também inventaram coisas muito bacanas e essenciais para o nosso dia a dia”, completa o professor da USP, lembrando que Pascal também inventou uma máquina aritmética de cálculo mecânico, considerada a avó das calculadoras modernas.

“Pascal era um grande pensador. Ele conseguiu enxergar, já naquela época, que para uma cidade progredir é necessário resolver o problema de mobilidade urbana”, diz o pesquisador em história do transporte público Eurico Galhardi, autor do livro Conduzindo o Progresso – A História do Transporte.

Beija-mão

Segundo Galhardi, após o encerramento do projeto de Pascal, o transporte público sobre rodas renasceria muito longe da França, mais precisamente no Brasil. “Criamos o segundo projeto de transporte coletivo no mundo”, diz Galhardi, que é presidente do conselho diretor da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU).

A chegada Família Real ao Brasil, em 1808, instituiu a cerimônia do “beija-mão”, em que os súditos iam até a Corte para agradar o rei chegado de Portugal. O problema era a distância a ser percorrida pelo povo para chegar à cerimônia no palácio e tentar alguns favores, perdões ou mesmo benefícios reais. Para resolver isso, em 18 de agosto de 1817 o rei D. João VI assinou um decreto que autorizava um dos empregados da Corte, Sebastião Surigué, a explorar um serviço de carruagens entre o Paço Imperial, no centro do Rio de Janeiro, e a Fazenda Santa Cruz, a cerca de 50 quilômetros e uma das residências oficiais da Família Real.

Cunha

“Esse decreto é uma verdadeira certidão de nascimento do transporte coletivo no Brasil”, diz Galhardi. Os veículos eram puxados por quatro animais, os lugares eram numerados e as passagens custavam oito réis. Uma segunda linha de carruagens para facilitar o “beija-mão” ligava o Paço Imperial à Quinta da Boa Vista, outra residência oficial da Família Real e que abrigava até recentemente o Museu Nacional, destruído por um incêndio em setembro deste ano.

“Há muito tempo sabemos a necessidade de criar formas de deslocamento coletivos para as pessoas se movimentarem”, diz o presidente executivo da NTU, Otávio Cunha. A entidade desenvolve diversos estudos e projetos de mobilidade urbana no país. Cunha lembra que o Brasil é pioneiro também em outra modalidade de transporte que posteriormente se espalhou pelo mundo: o Bus Rapid Transport (BRT), criado em Curitiba (PR) na década de 70 pelo então prefeito Jaimer Lerner. Na época, a ideia era desenvolver um sistema de transporte sobre rodas rápido e eficiente como o metrô, mas a custos menores do que o transporte subterrâneo.

“Apesar do nosso pioneirismo em criar sistemas, pagamos um alto preço por não ter políticas públicas eficientes de transporte coletivo para facilitar a mobilidade urbana em nossas cidades. Com isso, deixamos de fazer o que o resto do mundo fez nesse sentido, como ocorreu na Europa”, diz Cunha.

Fonte: BBC

Prefeitura, Saúde, Transporte, Trânsito

Natal Terá Nova Edição da Proposta “Na Cidade Sem Meu Carro”

A Prefeitura do Natal, por meio das secretarias de Mobilidade (STTU) e Esporte e Lazer e a Associação de Ciclista do RN (ACIRN), realizam neste sábado (22) mais uma edição do CicloNatal, dentro da proposta do evento internacional “Na cidade sem meu carro”.

A concentração será no IFRN campus da Av. Salgado Filho, a partir das 15h, e não é necessária inscrição prévia. Os participantes contarão com o apoio de batedores da STTU, apoio mecânico, coletes refletivos e água.

A proposta visa incentivar a adesão ao movimento por uma mobilidade verde valorizando deslocamentos a pé, de bicicletas e transporte público – priorizando estes deslocamentos por meio de adoção de políticas públicas focadas na mobilidade sustentável.

O evento, que teve início em 1997, na França, é organizado no Brasil pelo Instituto da Mobilidade Sustentável – RUAVIVA, com parceria do Instituto Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público (MDT) e apoio do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana (FNSTT), do Fórum Nacional da Reforma Urbana (FNRU) e da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP).

Em Natal (RN), a ação conta com a parceria da Prefeitura do Natal, Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), Secretaria Municipal de Esporte e Lazer e a Associação dos Ciclistas do RN.

Fonte: SECOM PMN

Internacional, Transporte

Empresa de Transporte Público Lança Aplicativo de Carona em Berlim

BerlKönig

Aplicativo BerlKönig funciona de modo semelhante ao Uber. Diferença é que o novo serviço berlinense é coletivo, com vans que levam vários passageiros em trajetos semelhantes.

Depois de oferecer um tênis que vale como passagem e testar ônibus autônomos, a empresa pública de transporte coletivo de Berlim, a BVG, inovou mais uma vez ao lançar no início de setembro um serviço semelhante ao Uber.

Chamado de BerlKönig, o nome do serviço da BVG remete ao famoso poema Erlkönig, de Johann Wolfgang von Goethe : “Quem cavalga tão tarde através da noite e do vento?/ É um pai com seu filho/ Ele segura o menino em seus braços/  Ele o leva seguro, ele o mantém aquecido”, diz a primeira estrofe.

Em alemão, o termo Erlkönig é utilizado também para denominar modelos de carro que estão em fase de desenvolvimento e ainda não tem um desenho final. No Brasil, esses protótipos são chamados de mula. Muitas vezes, esses modelos têm suas carrocerias pintadas em estilo camuflado, semelhantes às das vans do BerlKönig.

Quem batizou o serviço provavelmente estava pensando nas mulas e acabou esquecendo a referência do poema de Goethe, que na primeira estrofe parece até ser uma boa ideia para um nome ligado a transporte.

O princípio do BerlKönig é bem parecido com o do Uber: por meio de um aplicativo, o usuário solicita o carro que o buscará e o deixará no endereço indicado. A diferença entre os dois, porém, é que o transporte do BerlKönig é coletivo, ou seja, as vans levam vários usuários que fazem trajetos parecidos. Até seis pessoas cabem nas vans da BVG. Além disso, o BerlKönig é inclusivo, com veículos adaptados para cadeirantes.

Apesar de ser um serviço oferecido pela BVG, a viagem no BerlKönig sai bem mais cara do que uma passagem do transporte coletivo, porém, ainda é um pouco mais barata do que táxi. O usuário da van paga 1,50 euro por quilômetro, e o valor total é calculado pelo aplicativo com base na rota mais direta.

O valor mínimo pago por viagem, porém, é de 4 euros. Em horários de pico, essa taxa tem um acréscimo de 25%. Se o trajeto for solicitado para mais pessoas, o valor por quilômetro para cada usuário extra cai pela metade.

O BerlKönig promete ainda buscar os usuários menos de 10 minutos depois da solicitação do veículo. O novo serviço está em fase de teste e, por enquanto, é oferecido às sextas-feiras e aos sábados entre as 17h e as 5h e está disponível apenas nos bairros Mitte, Prenzlauer Berg, Kreuzberg e Friedrichshain. Atualmente, 50 vans, sendo 40 delas elétricas, fazem parte da frota do BerlKönig.

BVG

No futuro, se houver demanda suficiente, a BVG planeja expandir a cobertura do serviço na cidade e disponibilizá-lo 24 horas por dia de domingo a domingo. Para isso, pretende aumentar a frota do BerlKönig para 300 veículos. Ao que tudo indica, o BerlKönig tem tudo para fazer sucesso. No primeiro final de semana de seu lançamento, apesar de sua área restrita de atuação, cerca de mil pessoas usaram o serviço e mais de 10 mil baixaram o aplicativo.

Fonte: DW