Negócios, Saúde

Apple Divulga Resultado de Parceria com RED no Combate à AIDS

A Apple divulgou nesta semana que já conseguiu arrecadar cerca de US$ 200 milhões com a venda de produtos RED, sendo que todo o dinheiro foi revertido para o combate à AIDS. Assim, a empresa se orgulha de estar ajudando na prevenção e no controle do vírus em países pobres da África.

Em um exemplo, dos US$ 600 milhões arrecadados pela RED desde 2006, cerca de US$ 200 milhões foram doados pela Apple com a venda de iPhones. Com isso, a instituição conseguiu fornecer ajuda para moradores do Quênia e isso causou a redução a disseminação do HIV.

Apenas no ano de 2017, o país registrou 53 mil casos de HIV, sendo que isso já representa uma redução considerável, uma vez que em 2000 cerca de 9,3% de todos os adultos do país eram soropositivos.

De acordo com a RED, o tratamento também é muito importante e o Fundo Global já forneceu suporte para 17,5 milhões de pessoas. Isso reduziu a quantidade de soropositivos no Quênia para 4,8% da população adulta em 2017.

A Apple deve estar participando mais uma vez da campanha para arrecadar fundos para a RED  vendendo a versão vermelha do iPhone XR e outros dispositivos. Assim, a cada produto comprado, a empresa fará a doação de US$ 1 para a RED. Já as lojas da companhia também ganharão logos vermelhos para chamar a atenção para o combate à AIDS.

Fonte: https://bit.ly/2E74XDw

Negócios

Morre Paul Allen, Cofundador da Microsoft

Paul Allen, cofundador da Microsoft ao lado de Bill Gates, morreu nesta segunda-feira (15), em Seattle, nos Estados Unidos, em decorrência de um câncer. O empreendedor, 65 anos, tinha um linfoma não-Hodgkin.

“É com enorme tristeza que anunciamos a morte do nosso fundador, Paul G. Allen, cofundador da Microsoft e notável tecnólogo, filantropo, criador de comunidades, conservacionista, músico e apoiador das artes”, diz o comunicado, publicado nesta tarde pela Vulcan, empresa criada para fins filantrópicos por Allen.

O empreendedor, que fundou a Microsoft em 1975, anunciou que estava doente pelo cancêr no começo deste mês. Era a segunda vez que tinha o mesmo câncer. Em 2009, depois de uma longa batalha e longos períodos de internação, ele tinha vencido o câncer.

Afastado do dia a dia da Microsoft, Allen investia no esporte: ele era dono do Portland Trail Blazers e Seattle Seahawks, franquias esportivas da NBA e NFL, respectivamente. Também investia sua fortuna bilionária em causas sociais e no desenvolvimento de tecnologia para inteligência artificial.

A Microsoft, em sua conta no Twitter, lamentou a morte do empreendedor:

“As contribuições de Paul Allen para nossa companhia, indústria e sociedade são indispensáveis. Como cofundador da Microsoft, do seu jeito quieto e persistente, ele criou instituições, produtos e experiências mágicas. E fazendo isso, ele mudou o mundo. Eu aprendi muito com ele. Seu jeito indagador, curioso e exigente vai continuar a inspirar a mim e a todos da Microsoft. Nossos corações estão com a família de Paul e seus amigos queridos. Descanse em paz”, postou Satya Nadella, atual CEO da companhia.

Fonte: Época Negócios

Economia, Negócios

BNDES Lança Crédito de R$ 2 Bilhões para Equipamentos de Energia Renovável

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou hoje (27) novas linhas de crédito para investimento em energias renováveis. O banco disponibiliza R$ 2,2 bilhões para aquisição de sistemas de geração de energia solar, eólica e de aquecimento de água por meio de placas solares.

O lançamento das linhas de crédito ocorreu no Rio de Janeiro e contou com a presença do presidente Michel Temer. Ele afirmou que a promoção de energia limpa e desenvolvimento sustentável é uma “bandeira importante” do seu governo.

A linha de crédito está disponível para empresas de todos os portes, produtores rurais, condomínios, além de pessoas físicas e poderá financiar até 100% do valor total dos equipamentos, com até dez anos para pagar e dois anos de carência. A taxa final para micro, pequenas e médias empresas ficará em torno de 1,3% ao mês.

Durante o evento, o presidente lembrou também a sua passagem pela Assembléia-Geral da ONU, no início da semana.

“Aproveitei a ocasião para reafirmar o compromisso do Brasil com a economia de baixo carbono. Apenas para dar um exemplo, hoje temos a maior reserva marinha ambiental do mundo. Alcança um espaço equivalente à soma da França e Alemanha juntos. Verifiquei quantos e quantos chefes de Estado, de governo, vieram nos cumprimentar por isso. Trata-se, portanto, de um compromisso de princípio que nosso governo tem convertido em ações concretas, como a de hoje”.

Fonte: PEGN

Internacional, Negócios

CEOs Suíços São os Mais Bem Pagos da Europa

Um relatório sobre os salários dos CEOs em toda a Europa aponta que a Suíça mais uma vez lidera o ranking, à frente da Grã-Bretanha e da Alemanha. Os salários dos altos executivos também registraram um sensível aumento no ano passado.

CHF 8,7 milhões (US$ 9,05 milhões): essa foi a remuneração média dos chefes das principais empresas na Suíça em 2017, segundo o relatório Eurotop 100 deste ano, divulgado na quinta-feira pelo grupo de consultoria Willis Towers Watson.

Assim como no ano passado, a Suíça encontra-se firmemente à frente do ranking europeu de remuneração de CEOs, à frente da Grã-Bretanha (média de 7,21 milhões de francos suíços) e da Alemanha (7,18 milhões de francos suíços).

Sevrin Schwan, CEO do grupo farmacêutico suíço Roche, lidera a lista individual de executivos, embolsando CHF 14,57 milhões por ano. Ele foi seguido por Carlos Brito, chefe do grupo cervejeiro AB/Inbev (CHF 14.49 milhões) e Sergio Ermotti do banco UBS (CHF 14.16 milhões).

Digno de nota é que, entre as 100 maiores empresas européias, os salários-base dos CEOs suíços correspondem à menor parte de sua remuneração – em 25%, segundo o relatório.

Em vez disso, “componentes de alta variabilidade [como bônus] dão a eles a oportunidade de ganhar muito mais que seus salários”, conforme escreveu Olaf Lang, diretor administrativo da Willis Towers Watson.

As culturas de incentivos salariais diferem em toda a Europa, continua o relatório: na Escandinávia, muito mais ênfase é dada à remuneração fixa (ver tabela abaixo).

Gatos gordos em dieta

No geral, a remuneração direta total das empresas suíças pesquisadas no relatório ficou praticamente inalterada em relação ao ano passado, em + 0,1%. A mediana europeia subiu cerca de 5%.

Em março de 2013, os eleitores suíços apoiaram uma iniciativa para reduzir os altos salários dos executivos “gatos gordos”. Contudo, em outra votação no mesmo ano ano, eles rejeitaram a proposta de limitar o pagamento dos executivos a 12 vezes o salário mais baixo de sua empresa.

Assim, embora os acionistas de empresas listadas tenham agora votos vinculados nos pacotes de remuneração, e vários tipos de bônus, como contratos de rescisão conhecidos como “pára-quedas de ouro”, sejam proibidos, a iniciativa não parece ter tido muito efeito sobre o volume dos salários mais altos.

No entanto, novas regras que estão sendo preparadas na Europa podem ter um impacto sobre a remuneração na Suíça. A nova diretiva de direitos dos acionistas da União Europeia (SRD) exige a adoção de voto vinculativo dos acionistas (ou seja, que obriga sua implementação) sobre a política de remuneração e uma votação não vinculante sobre os salários individuais dos executivos.

As empresas também devem divulgar a relação entre os pacotes de pagamento mais altos e mais baixos. A diretiva deve ser implementada até junho de 2019.

Fonte: SwissInfo

Economia, Negócios

Por Que o Ródio se Tornou o Metal Precioso Mais Caro do Mundo

rodio 3

O ouro, a prata e a platina são os metais preciosos mais populares do mundo. O mais valioso, entretanto, é praticamente um desconhecido: o ródio. Seu preço cresceu impressionantes 265% nos últimos dois anos. E pode continuar subindo, segundo analistas de mercado.

O ródio é usado principalmente nos catalisadores automotivos, para diminuir as emissões de gases tóxicos. Como o controle de poluentes é uma tendência em alta, a indústria automobilística “o demanda cada vez mais para cumprir suas metas ambientais”, afirma David Holmes, vice-presidente de comércio da Heraeus Metals, empresa que trabalha com venda de metais.

Por outro lado, o ródio é escasso, extraído por poucos países, entre eles Rússia e África do Sul – a maior mineradora do metal, onde a produção, aliás, está em queda. Essa combinação de demanda em alta e oferta em baixa cria grande incerteza no mercado. Há uma década, o preço do ródio era de US$ 10 mil por onça (28 gramas), valor que despencou para US$ 1 mil em 2009. Em agosto de 2016, atingiu seu menor valor, US$ 639. Hoje está em expressivos US$ 2,3 mil. Uma montanha-russa que deixa qualquer investidor nervoso.

De catalisador automotivo a revestimento de jóias

O ródio tem grande variedade de usos comerciais porque é um bom condutor de eletricidade. Além disso, devido à elevada dureza, é utilizado em ligas com outros metais, para que elas tenham resistência mais alta à corrosão. É demandado na indústria eletrônica, que o utiliza em alguns equipamentos ópticos e em certos tipos de espelhos. Na joalheria, é utilizado em quantidades muito pequenas para aumentar a resistência do ouro e lhe dar uma aparência mais brilhante.

Não existem minas de ródio. Ele é, na verdade, um subproduto de outras atividades da mineração. Na África do Sul, que concentra 80% da produção, é um subproduto da platina. Na Rússia, é um subproduto do níquel. A redução da produção sul-africana se deve à queda no preço da platina, que levou a mineradora Impala Platinum Holdings a anunciar que vai reduzir sua extração do metal – e, por consequência, do ródio – no país em um terço até 2021.

A comunicação contribuiu para a nova alta no preço do ródio. E é provável que ele continue subindo: a China vem aumentando seu apetite pelo metal, em sua cruzada para reduzir as emissões poluentes dos automóveis.

Fonte: UOL Economia

Economia, Eleições 2018, Negócios, Política

MAIS RN é Apresentado para Participantes de Plano de Governo dos Candidatos Majoritários

57b90f47-2a2d-4270-a091-bf549bd1a034-18969-000012be24c531db-1.jpg

Em lançamento do Plano Mais RN 2018-2022, no auditório da FIERN, as equipes de técnicos de todos os candidatos foram chamadas para assistirem um resumo do que foi identificado no RN até 2017 pela empresa Macroplan, baseadas em fontes oficiais.

Lá esteve parte da equipe de técnicos do plano de governo do candidato Carlos Eduardo, como Dionísio Gomes, ex-controlador do município de Natal, e hoje novamente professor da UFRN no curso de Contabilidade; Luís Renato da Rocha, graduado em gestão pública e mestre em estudos urbanos e ambientais; além de Saudade Azevedo, ex-secretária de saúde de Natal, e Terezinha Rêgo, secretária adjunta da secretaria de saúde de Natal, duas especialistas em estudos e soluções para SUS.

img_4571-1.jpg

Durante a apresentação do Mais RN 2018, ficou claro que o Rio Grande do Norte perdeu tempo, espaço, posições no ranking de desenvolvimento nacional. Tentou se fazer um pacto político e social em 2014, que não foi concretizado. De 2014 para cá os dados mostram que o RN entrou em franco declínio, como por exemplo, o desenvolvimento econômico, com uma queda de oito posições, indicando o RN como o penúltimo estado brasileiro nesse quesito. Para a Macroplan, neste ritmo atual de gestão, em 2022 o RN será o 23º no ranking DGE, caindo dez posições.

img_4572-1.jpg

Aqui fica a recomendação da leitura dessa Agenda 2019-2022 do MAIS RN com todos os detalhes da agenda, com considerações, números e sugestões para quem for gerir o RN a partir de 2019.

 

Economia, Negócios

Conheça o Dono das Marcas Nutella, Tic Tac, Kinder Ovo e Ferrero Rocher – E de uma Fortuna de R$ 79 bilhões

Quem conhece Alba, pequena cidade italiana fundada ainda no Império Romano, não imagina o que suas montanhas escondem. É ali, atrás de muros de concreto que ultrapassam os quatro metros de altura, que se esconde um dos maiores segredos do mundo dos negócios: a fábrica da Ferrero, empresa que é dona de marcas como Nutella, Kinder, Tic Tac e Ferrero Rocher.

Fundada em 1946 pelo empreendedor italiano Pietro Ferrero, a empresa se tornou um negócio bilionário. Hoje tocada por seu neto, Giovanni Ferrero, a companhia vendeu em 2017 cerca de US$ 12,5 bilhões (R$ 47,4 bilhões) em doces. Segundo dados da “Forbes”, as ações da Ferrero valem juntas cerca de US$ 31 bilhões (R$ 117,5 bilhões). Hoje tocada por seu neto, Giovanni Ferrero, a companhia vendeu em 2017 cerca de US$ 12,5 bilhões (R$ 47,4 bilhões) em doces.

Segundo dados da “Forbes”, as ações da Ferrero valem juntas cerca de US$ 31 bilhões (R$ 117,5 bilhões). Sozinho, Giovanni Ferrero tem uma fortuna de US$ 21 bilhões (R$ 79 bilhões), o que o coloca na lista das 50 pessoas mais ricas do planeta.

Em sua fábrica, há muita tecnologia: um exército de braços robóticos, sensores e câmeras de alta precisão dão vazão aos milhares de chocolates da Kinder. “Nós fazemos tudo com muita seriedade e competência”, afirmou Giovanni Ferrero à Forbes em sua primeira aparição para a imprensa norte-americana.

Antes de Giovanni, a empresa chegou a ser administrada por seu pai, Michele, e seu irmão, Pietro, que faleceram há três anos. Sob sua gestão, o empreendedor optou por mudar algumas diretrizes básicas da companhia, como comprar empresas menores de chocolate. Com as mudanças, o negócio cresceu. Hoje, a Ferrero está presente em mais de 160 países, empregando mais de 40 mil pessoas e produzindo 365 mil toneladas de Nutella por ano. Para Giovanni, a empresa ainda tem muito a crescer. “Bom, acho que tivemos um início promissor.”

Fonte: Revista PEGN