Festival, Música

MADA 20 Anos – Primeira Noite Foi Um Baile de Diversidade Sonora

A primeira noite da edição de 20 anos do Festival MADA foi um baile de novidades musicais onde couberam vários ritmos e misturas, do pop eletrônico à suingueira indie, passando pela MPB vanguarda, a poesia, o jazz e o pop rock “raiz”. Com mais espaço no gramado e ocupação de diversas áreas da Arena das Dunas, incluindo um terceiro palco e a Feira Mix melhor acomodada nos corredores do podium, o MADA abriu sua festa promovendo uma experiência grande festival. Luminosos espalhados por vários setores do estádio foram um convite às selfies com a galera. Parceiros e patrocinadores do festival capricharam em suas estruturas e ativações.

Sem atrasos, a sexta-feira começou cedo com o show da banda potiguar Demonia, às 18h, e findou as 4 horas da manhã, quando a cantora Pitty convidou ao palco a banda potiguar Far From Alaska para cantar junto. A edição também atraiu o público de outros estados nordestinos, além dos potiguares. Muitos cearenses, pernambucanos, paraibanos balançaram suas bandeiras a cada show. O estudante Valde Cabral, de Fortaleza, destacou a criatividade do line up. “Gosto desse festival porque já é conhecido por ser alternativo, com novos artistas. É minha primeira vez aqui e, com certeza, haverá a segunda, a terceira…”

Quem abriu a noite foi a pernambucana Duda Beat, uma das atrações mais aguardadas pelos ‘novidadeiros’ de plantão. Com a mudança do horário de sua apresentação, o publicou até chegou mais cedo para vê-la. Mistura de pop, eletrônica, reggae e brega pernambucano, Duda encantou com seu balanço com letras que falam de dores de amor. A artista já foi chamada de rainha da sofrência pop. No repertório, músicas como “Bédi Beat” e “Sinto Muito” de seu elogiado u disco de estreia. Mas “Bixinho” fez todo mundo dançar e teve até bis no final. “Eu conheci o MADA em 2007, e na época pensei: ‘ainda vou tocar nesse festival’ e agora consegui. Incentivar os artistas

locais é um diferencial”, comentou Duda, após o show.

Logo em seguida foi a vez de Jade Baraldo. A cantora é de longe, de Santa Catarina, porém encantou a todos com sua estética pop e dançante. “Brasa”, sua música mais conhecida, também teve bis. Além de “Vou Passar” e “Eco”, a jovem apresentou covers de “G.U.Y.”, da Lady Gaga e “I Follow Rivers”, da Lykke Li. Diretamente do Uruguai para o MADA, Alfonsina encantou até quem não a conhecia. A voz delicada, mas forte, seduziu e hipnotizou o público. “Eu só fiquei sabendo quem era a Alfonsina quando foi anunciado no line-up do festival, então me interessei e pesquisei mais sobre. Me apaixonei pelas letras das canções”, enfatizou o estudante Isaac Campos.

Após o rock cabeça, veio o grupo baiano ÀTOOXXÁ e colocou fogo no palco. O pagodão baiano eletrônico presente em músicas como “Blvckbvng”, “Popa da Bunda” e a mais nova “Caixa Postal” fez com que os fãs dançassem as coreografias, até aqueles mais tímidos. Trazendo o rock potiguar no DNA, a banda Far From Alaska voltou como “headliner” e estremeceu a Arena com os riffs pesados e a voz poderosa de Emmily Barreto nas músicas do último CD do grupo, “Unlikely”.

Em seguida, uma catarse de música, poesia e nordestinidade. Cordel do Fogo Encantado assumiu o comando do MADA. Os pernambucanos apresentaram as músicas do último CD, assim como algumas mais antigas, como “Pedrinha” e “Chover”. Na sequência, Nação Zumbi tomou conta. As clássicas “Quando a Maré Encher” e “Um Sonho”, por exemplo, foram cantadas no volume mais alto, de tanta empolgação.

No encerramento, Pitty fez questão de emocionar os fãs – alguns até choraram. Foram muitas músicas consagradas, começando com “Admirável Chip Novo”. Depois vieram “Anacrônico”, “Setevidas”, “I Wanna Be”, “Na Sua Estante, “Teto de Vidro”, entre outras. A cantora também apresentou a nova “Te Conecta”, que tem a vibe e as influências sonoras do dub e reggae. Lá para o meio do show, convidou Emmily Barreto, vocalista da Far From Alaska, para que cantassem juntas a nova música das duas, “Contramão”. No palco, Pitty disse que toca no MADA desde o começo e que a história do festival quase se confunde com a própria trajetória.

Palco Alternativo – Dançante e Intimista

O terceiro palco foi uma grata surpresa nesta edição, com uma plateia animada e regular entre as 18h até 23h. Quem aprecia shows mais intimistas, em que o público interage mais próximo do artista, pôde apreciar a qualidade das bandas escaladas na noite: o quarteto gaúcho Dingo Bells, a banda cearense Rieg, os austríacos Saint Chameleon, além das potiguares Talma & Gadelha e Demonia. Nascido no outro Rio Grande, o gaúcho Felipe Kautz, baixo e voz da banda Dingo Bells, ficou surpreso ao ver o público cantar todas as músicas. “A gente fica muito feliz em saber que nossa música chegou primeiro, muito antes de nós”, disse.

Diretamente da Áustria, o jazz festivo com pitadas de ska de Saint Chameleon botou o público para dançar. A banda surpreendeu os natalenses ao abrir com os refrões de uma música muito conhecida da terrinha: “Aonde está meu outro par da sandália havaiana/Aonde está, meu outro par, meu outro par…” da banda DuSouto.

“Agora fica a expectativa para a segunda noite, aposto que vai ser tão mágica quanto essa. Muito ansiosa para ver Franz Ferdinand ao vivo, bem pertinho”, comemorou a publicitária Letícia Dantas.

O Festival conta com patrocínios do TNT Energy Drink, Itaipava, Coca-Cola, Café Santa Clara, Comjol e Governo do Estado através da Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura. Apoio Prefeitura de Natal, Rede InterTv Cabugi, Sunline Turismo, De passaporte.com, Ballantines e FBA – Festivais Brasileiros Associados e Player Oficial Spotify. Promoção Jovem Pan Natal e realização MADA.

Neste sábado (13.10), nos Palcos TNT Energy Drink Stage e Coca-Cola será de diferentes ritmos e encontros. Do rock alternativo, pulsante e dançante do Franz Ferdinand (Escócia) à eletrizante mistura de guitarras baianas e sound system jamaicanos, do grupo Baiana System.

Será a primeira vez do rapper Rincon Sapiência em Natal e da ex-Araketu Larissa Luz com seu trabalho solo. E ainda a fusão de sons latino-americanos de Francisco El Hombre e o rock minimalista do Oto Gris e as misturas modernas dos potiguares Ângela Castro, Alphorria e Luísa e Os Alquimistas. No palco MADA Arena estão apostas talentosas como Potyguara Bardo, Ciro e a Cidade e Ardu, mostrando seus novos trabalhos.

SÁBADO (13 de outubro)

Palco TNT Energy Stage

19h40 – Angela Castro

21h10 – Luísa e Os Alquimistas

22h50 – Rincon Sapiência

00h30 – Franz Ferdinand (UK)

Palco Coca-Cola

19h – Oto Gris

20h20 – Alphorria

22h – Larissa Luz

23h40 – Francisco El Hombre

02h – Baiana System

Palco MADA Arena

19h – Ciro e a Cidade

20h – Ardu

21h – Potiguara Bardo

Cultura, Festival

Franz Ferdinand Confirma Presença no MADA 2018

Após anunciar shows em Curitiba e São Paulo pelo Popload Gig, banda escocesa confirma única apresentação no Nordeste.

Com o recém lançado álbum, Always Ascending, o grupo Franz Ferdinand retorna ao Brasil para três apresentações, sendo que a única no Nordeste será no Festival MADA, dia 13 de outubro. Depois da cantora uruguaia Alfonsina, a banda da Escócia é o segundo artista internacional anunciado pelo festival, que completa 20 anos e espera 20 mil pessoas no Arena das Dunas nas duas datas (12 e 13 de outubro).

Always Ascending, quinto disco do grupo, marca a estreia dos integrantes Dino Bardot (do trio 1990s) e Julian Corrie (mais conhecido na seara eletrônica por Miaoux Miaoux), músicos conceituados da cena rock e eletrônica de Glasgow, que entram para substituir o carismático guitarrista Nick McCarthy. As adições renovaram o clima entre os integrantes e essa nova versão do Franz Ferdinand vem repleta de experimentações e mais dançante do que nunca! “Queríamos que o disco ficasse completamente diferente de tudo o que já fizemos”, explica Alex Kapranos, vocalista e o grande responsável pelas apresentações eufóricas do grupo. É fato: não existe show ruim do Franz Ferdinand.

Conhecidos por surgirem nas pistas no comecinho dos anos 00 com inúmeros hits, como “Take me out”, “Do You Want to”, “This Fire”, “Darts of Pleasure”, em 2004, com o disco de estreia que tem o nome do grupo, Franz Ferdinand, emplacou cinco músicas nas paradas inglesas, todas com repercussão imediata por aqui. Além disso, conquistaram um Mercury Prize e uma indicação ao prêmio de Melhor Álbum Alternativo no Grammy. Nesses dezesseis anos, o Brasil teve a sorte de receber o grupo várias vezes, em todas as suas fases, sempre com shows lotados e com singles recém-lançados cantados na íntegra pelos fãs. E esta será a primeira apresentação dos escoceses em Curitiba e Natal!

Franz Ferdinand é formado por Alex Kapranos, Bob Hardy, Paul Thomson, Julian Corrie e Dino Bardot. A mini-turnê brasileira começa em Curitiba, no dia 11 de outubro, na Ópera de Arame, depois passa por São Paulo no dia 12 de outubro, no Tom Brasil, e segue para Natal no Festival MADA. Ingressos já estão à venda. Além do Franz Ferdinand, em 2018 também já estão confirmados no Festival MADA: PITTY, Cordel do Fogo Encantado, Nação Zumbi, Baiana System, Jade Baraldo, Larissa Luz, Alfonsina (URU), ÀTTØØXXÁ, Rincon Sapiência, francisco, el hombre, Luísa e os Alquimistas, Far From Alaska, Oto Gris e demonia. Em breve, serão divulgadas novas atrações para o grande evento dos 20 anos.

SERVIÇO

Festival MADA – 20 anos

Local | Estádio Arena das Dunas – Lagoa Nova, Natal – RN

Data | 12 e 13 de outubro

*Link (https://www.sympla.com.br/festival-mada-2018—20-anos__271057) para compra de ingressos antecipados e com precos promocionais.

Festival

Parque da Cidade Recebe 2º Festival de Bolhas

IMG-20180426-WA0136

Neste domingo, 29, acontecerá no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, o Festival de Bolhas Gigantes, das 13 horas às 18 horas.

A programação é gratuita e aberta ao público de todas as idades, e haverá oficina para quem quer ficar craque em bolhas de sabão e materiais feitos artesanalmente. Garrafas com uma “porção mágica” para produção das bolhas serão vendidas para cobrir os custos da viagem do grupo Show de Bola – Produções, que já passou por países da américa latina, sudeste, sul e nordeste.

Para os que quiserem participar da brincadeira deverão levar materiais como baldes, detergentes e água para a produção de bolhas. Já os que almejam participar da oficina, precisam levar palitos de churrasco ou gravetos, barbantes e tesouras.

Cultura, Festival

Concurso premiará fotos sobre cultura e turismo do RN

foto alex gurgel

Foto: Alex Gurgel

O concurso fotográfico Cultura no Elefante está com inscrições abertas para fotógrafos profissionais ou amadores. A temática é abrangente e envolve fotografias relacionadas ao turismo e à cultura do Rio Grande do Norte. O Cultura no Elefante integra a programação do Cine Fest RN, o festival de cinema com mostras competitivas de curtas metragens nacionais e potiguares e também de longas metragens.

As inscrições para as mostras de cinema e para o concurso fotográfico são feitas exclusivamente pelo site cinefestrn.com.br e ambas têm prazo de inscrição válido até 25 de março de 2018.

Cada candidato pode inscrever até duas fotografias. O material pode ser colorido, preto e branco e conter técnicas de montagem e efeitos. As técnicas usadas devem ser informadas no formulário de inscrição.

Uma comissão de profissionais especialistas na área selecionará 10 fotos que irão compor a exposição que acontecerá entre os dias 24 e 29 de abril, no hall do Shopping Midway Mall, durante a realização do Cine Fest RN. Todas as dez fotos selecionadas receberão um certificado de participação do Festival. E as três primeiras serão premiadas com valores de R$ 3 mil (primeiro lugar), R$ 1,5 mil (segundo lugar) e R$ 1 mil (terceiro lugar).

“A intenção do concurso é enaltecer o potencial turístico-cultural do Rio Grande do Norte. Portanto, valem fotografias de cunho eminentemente turístico ou apenas cultural, ou que estejam relacionados como turismo cultural”, frisa o idealizador do Cine Fest RN, Edson Soares.

Regulamento do Concurso: Clique Aqui

CINE FEST RN

Se o concurso fotográfico ainda demonstra pouca participação do público, as inscrições de filmes estão a todo vapor. Importante lembrar que só podem participar filmes ainda sem exibição comercial. Serão selecionados cinco longas e dez curtas nacionais e outros dez potiguares. Os filmes escolhidos pelo Conselho Curador do festival serão anunciados no site do festival e na imprensa no dia 1º de abril. Serão cinco jurados para a competição de longas e outros cinco para as duas mostras de curtas-metragem. Todos com comprovada experiência no segmento audiovisual.

Na categoria de longas, serão premiados Melhor filme (R$ 5 mil), Melhor diretor (R$ 3 mil), Melhor ator (R$ 3 mil) e Melhor atriz (R$ 3 mil). Nos curtas nacionais, o melhor filme receberá R$ 3 mil. E na mostra de curtas potiguares, premiação para Melhor curta (R$ 3 mil), Melhor diretor (R$ 2 mil), Melhor roteirista (R$ 2 mil), Melhor ator (R$ 2 mil) e Melhor atriz (R$ 2 mil).

Esta primeira edição do Cine Fest RN acontecerá entre os dias 24 e 29 de abril, com exibição dos filmes no Cinemark Natal (Midway Mall). Também haverá mostras itinerantes nas zonas Norte e Sul de Natal e na Praia da Pipa. Os filmes exibidos nessas mostras serão selecionados entre as obras inscritas e outras convidadas pelo Conselho Curador.

REALIZAÇÃO

Esta primeira edição do festival é uma realização da Engady Cine Video e Governo do Estado do RN por meio da Secretaria de Estado do Turismo do RN, com recursos do Governo Cidadão via empréstimo do Banco Mundial.