Cinema, Internacional

Filme Brasileiro ‘Bacurau’ Ganha Prêmio do Júri no Festival de Cannes

“Bacurau”, filme dos brasileiros Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, venceu, neste sábado (25), o Prêmio do Júri do 72º Festival de Cannes, uma honra dividida com “Les Miserables”, de Ladj Ly.

“Há 20 anos venho a Cannes. No início, era jornalista. Conquistar esse prêmio do Júri significa muito”, disse Mendonça Filho, que concorreu à Palma de Ouro com “Aquarius” em 2016, após receber o prêmio das mãos do cineasta americano Michael Moore.

“Bacurau” é repleto de críticas e de referencias à atual situação da política brasileira, marcada por cortes em diversos setores, entre eles o da Cultura, que perdeu ministério próprio.

Ao falar sobre a vitória, Dornelles dedicou a prêmio a “todos os trabalhadores brasileiros da ciência, da educação e da cultura”.

“Somos embaixadores da cultura no Brasil”, concluiu Mendonça Filho, que lembrou que “A vida invisível de Eurídice Gusmão”, do brasileiro Karim Ainouz, conquistou ontem o principal prêmio da mostra “Um Certo Olhar”, a segunda mais importante em Cannes.

Já Ly, que dividiu a conquista do Prêmio do Júri com os brasileiros, afirmou que “Les Miserables” é uma denúncia crua das condições de vida em muitos subúrbios de Paris, capital do país.

A diretora dedicou a prêmio a “todos os miseráveis” da França, em uma referência ao título de seu filme.

Abaixo link com teaser do filme:

Fonte: Jovem Pan

Arte, Cinema

Filme “A Tradicional Família Brasileira – KATU” Estréia pelos Festivais do Brasil

O povoado do Eleotério do Katu, localizada entre os municípios de Canguaretama e Goianinha, que possui a única escola indígena do RN, foi objeto de uma reportagem do Dia do Índio feita pelo jornal Tribuna do Norte em 2007. E foi nessa ocasião que começou a saga audiovisual que deu origem “A TRADICIONAL FAMÍLIA BRASILEIRA – KATU”. O filme narra um recorte do desdobramento da vida desses jovens que foram entrevistados na época, para através deles, abordar histórias coletivas abrangentes, que transpassam suas trajetórias individuais na comunidade indígena, ressaltando a questão da herança cultural e étnica desses povos.

A intenção da obra é valorizar as narrativas orais e as memórias dos excluídos, trazendo maior luz à reconstrução da história marginal dessas comunidades. Dessa forma pretende-se compreender como tem sido a reconstrução social e sobrevivência dos povos indígenas em nosso estado.

Dirigido e roteirizado por Rodrigo Sena, o filme que começou em 2007, tem em 2019, o seu ano de estreia e circulação por festivais do Brasil. Ainda nesse mês de abril o filme fará uma pré estreia na 12º edição do Festival Curta Taquary, que acontece na cidade de Taquaritinga do Norte, agreste de Pernambuco. “Estamos aguardando resultados de outros festivais importantes do país, o nosso desejo é de circular ao máximo com esse filme”, afirma Arlindo Bezerra, produtor executivo do filme.

O filme agora, além de circular pelo país, está sendo formatado para ser vendido como série para televisão. O material captado durante as filmagens do curta se mostrou bastante denso, e com potencial suficiente para estender a narrativa, transformando-a em uma obra seriada, capaz de descrever mais detalhadamente a questão indígena no RN. Assim, foi elaborado o prospecto da série A TRADICIONAL FAMÍLIA BRASILEIRA – KATU que, após esse redimensionamento, está dividida em 3 capítulos com duração de 52 minutos cada. Nesses episódios será possível, acompanhar parte das trajetórias pessoais de jovens da comunidade do Katu e saber como as visões de mundo ligadas ao ideário da cultura indígena foram sendo transformados no decorrer dos anos, acomodando-se ao enquadramento maior da tradicional família brasileira.  

O filme é uma realização da ABOCA Audiovisual, Ori Audiovisual e Studium Produções. Com patrocínio da Prefeitura do Natal, BRDE, FSA e ANCINE, através do edital Cine Natal 2014.

Abaixo um teaser do filme

Cinema, Cultura

O Primeiro Laboratório Criativo do Cinema Potiguar Será em Outubro e Doze Roteiros Serão Premiados

Sabe aquele roteiro (ou argumento) que você guarda há um tempo em algum doc do Word perdido aí no seu computador? Pois bem! Chegou a hora de lapidar esse projeto e deixá-lo prontinho para virar um filme de verdade. Como? A gente explica agora!

Evidenciando o Roteiro, o LaP, Laboratório Criativo do Cinema Potiguar, vai premiar 12 roteiros (ou argumentos) inéditos de realizadores iniciantes com a participação em um dos três laboratórios criativos desta edição: “Cinema Independente Brasileiro”, com Daniel Calil (GO); “Cinema de Horror e Suspense”, com Matheus Arruda (PE); e “Cinema LGBTQ+”, com Henrique Arruda (PE/RN).

Ao todo serão 5 dias de imersão, entre 22 e 26 de outubro, no Laboratório de Comunicação (Labcom), da UFRN, nos quais os 12 roteiristas selecionados receberão uma consultoria dos realizadores convidados, para que possam chegar às versões finais de suas histórias. 

Para se inscrever basta acessar a página do LaP no Facebook, preencher o formulário online, e logo em seguida enviar o roteiro (ou argumento) de seu curta-metragem inédito de ficção para o e-mail falecomolap@gmail.com. As inscrições são gratuitas e seguem abertas até o dia 28 de setembro.

“Projetos de laboratórios audiovisuais precisam ser estimulados sempre, porque apostar na troca de conhecimentos, e na formação, é fundamental para o fortalecimento da cena, então acreditamos nesse projeto como uma semente”, opina Henrique Arruda, diretor do Lap e oficineiro desta edição.

“O audiovisual potiguar vivencia um momento de crescimento, o LaP vem somar com esse momento, fomentando o estudo na área de roteiro, possibilitando o aprofundamento em 12 roteiros para serem desenvolvidos posteriormente por seus realizadores”, reforça Arlindo Bezerra, produtor do LaP.

Painéis e Mostras

Além dos 3 laboratórios criativos para os 12 roteiros selecionados, o LaP vai realizar também uma programação paralela e aberta ao público com painéis sobre diversos temas do audiovisual independente, e mostras de filmes, além de uma premiação para os roteiristas vencedores. A programação completa será divulgada nas próximas semanas, através das redes sociais do laboratório, no Facebook (fb.com/laboratoriocriativodocinemapotiguar) e Instagram (@lapcinema).  

A primeira edição do LaP, Laboratório Criativo do Cinema Potiguar, ocorre entre 22 e 26 de outubrona UFRN, com patrocínio do SEBRAE, realização da Bobox Produções Culturais e apoio do Departamento de Comunicação da UFRN; ABOCA Audiovisual e Projeto Tela Livre.

*As inscrições são gratuitas, e seguem até sexta (dia 28 de setembro), através do preenchimento de um formulário online disponibilizado na página do LaP no Facebook.