Câmara Municipal

Lei do Aprendiz Será Tema de Audiência da Frente da Criança e do Adolescente

A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente realizará, nesta quinta-feira (31), às 9h, audiência pública na Câmara Municipal de Natal para debater o cumprimento da Lei nº 6.941/19, que estabelece a comprovação do preenchimento das cotas de aprendizes e pessoas com deficiência por parte de empresas que desejem firmar contratos com o Município do Natal. A lei foi publicada no dia 25 de setembro e está em fase de regulamentação.

A iniciativa, de autoria da vereadora Júlia Arruda, prevê que no ato de celebração do contrato as empresas comprovem o cumprimento da Lei Federal nº 8.213 e do Decreto nº 5.598, bem como da CLT, que determinam a presença e estabelecem percentual mínimo para composição no quadro de funcionários de aprendizes, beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência. Cabe aos contratados, inclusive, quando for o caso, comprovar que não se enquadram na obrigatoriedade estabelecida pela legislação federal.

“O que a gente observa de maneira geral é que já existem muitas leis, mas muitas vezes elas não são efetivadas na prática. Por isso nosso objetivo com esse projeto é fortalecer o cumprimento e estimular a contratação de jovens aprendizes e pessoas com deficiência, garantindo a inclusão no mercado de trabalho e possibilitando mais autonomia para essa parcela da população”, destacou a autora da matéria e coordenadora da Frente da Criança e do Adolescente, vereadora Júlia Arruda.

Participarão da audiência na Câmara Municipal representantes da Procuradoria Regional do Trabalho, Prefeitura de Natal e Governo do Estado, Superintendência Regional do Trabalho, além de órgãos que atuam no encaminhamento de mão de obra ao mercado de trabalho, conselhos de direitos e representantes da Juventude. 

Saúde

O Mundo Inteiro Passa por Escassez de Doações de Sangue, Revela Estudo

Um estudo feito por pesquisadores dos Estados Unidos mostrou que o mundo enfrenta uma grave escassez nos bancos de sangue: 119 de 195 países não têm doações suficientes para atender à demanda dos hospitais.

A pesquisa, publicada no respeitado periódico The Lancet, aponta que em 2017 a necessidade por sangue em 195 nações foi de cerca de 303 milhão de bolsas, mas só se conseguiu arrecadar 272 milhões. Com isso, faltararam mais de 30 milhões de bolsas para transplantes.

Para chegar a esses resultados, os autores compararam informações de dois relatórios globais: o Global Status Report on Blood Safety (Relatório do Status Global em Segurança Sanguínea, em tradução livre), da Organização Mundial da Saúde (OMS), e o Global Burden of Disease (Carga Global de Doenças), de 2017.

A análise concluiu que o déficit de sangue estava presente em quase todos os países do continente africano, com poucas exceções como a África do Sul. Alguns países da Oceania (excluindo Austrália) e do sul da Ásia (como China e Rússia) estavam em uma situação crítica.

Mas isso não foi observado em países em ricos da Europa e da América do Norte. Os Estados Unidos tinham o dobro de sangue que era necessário para abastecer os estoques.

A Dinamarca é o país com maior estoque de sangue, com mais de 14 mil unidades a cada 100 mil pessoas. Já no Sudão do Sul, que vive uma guerra civil, a situação é a pior: há apenas 46 bolsas para cada 100 mil indivíduos. O ideal seria que o país africano tivesse 3,5 mil bolsas para cada 100 mil habitantes.

Segundo Thierry Burnouf, professor da Universidade Médica de Taipei Medical University, em Taiwan, entre as possíveis soluções para esse cenários estão estratégias elaboradas por meio de acordos nacionais e regionais e da cooperação internacional para transferir tecnologias para hemocentros em locais com déficit nos bancos de sangue. “Isso pode ajudar a atender as necessidades para que pacientes tenham acesso a terapias capazes de salvar vidas”, avalia Burnouf. 

Fonte: Galileu

Câmara Municipal

Audiência Pública Debate Ações de Combate ao Desperdício de Alimentos

Nesta terça-feira (29), às 09:00, o plenário da Câmara Municipal de Natal vai sediar uma audiência pública para debater o fortalecimento das ações de combate ao desperdício de alimentos na capital potiguar. A iniciativa tem o objetivo de alertar a sociedade sobre a importância do tema, bem como de integrar mais as iniciativas existentes com foco no abastecimento das instituições filantrópicas conveniadas aos programas de assistência social coordenados pelo Município. O vereador Felipe Alves (MDB) é o propositor da audiência.

“Reuniremos representantes do setor público e da iniciativa privada para discutir esse tema que está em evidência em diversas cidades pelo mundo. O nosso mandato, particularmente, tem se debruçado em busca de alternativas viáveis para evitar o desperdício de alimentos na nossa cidade”, disse o vereador.

Felipe Alves lembrou ainda que uma lei de sua autoria instituiu o banco de alimentos em Natal. A medida autoriza que empresas doem para instituições de caridade produtos de gênero alimentício sem valor comercial, mas que ainda podem ser consumidos: “Essa legislação ainda não foi regulamentada e está sendo executada de maneira tímida. Queremos sensibilizar os empresários a integrarem essa rede solidária e ainda vamos cobrar que o poder público se organize para pôr em prática a lei. Será um momento bem proveitoso”, projetou.

Indústria, Meio Ambiente

Indústria do Cimento Quer Usar Óleo Recolhido no Nordeste, diz ABCP

A Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) confirmou nesta terça-feira ter se colocado à disposição para receber o óleo recolhido no litoral do Nordeste e utilizá-lo como combustível para fornos em indústrias do setor.

A entidade está em contato com Marinha, Ibama e Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para o recebimento do óleo, que seria tratado e utilizado como combustível ou matéria-prima alternativa para as empresas de cimento do Nordeste, segundo nota da ABCP.

“Se viabilizado o uso, este material será totalmente destruído, evitando assim novos impactos ambientais causados por um eventual descarte incorreto”, disse a associação, que representa dez grupos responsáveis por 80% da produção de cimento do Brasil.

O uso do resíduo sólido contaminado com óleo na produção do cimento ocorreria graças ao coprocessamento, técnica que utiliza resíduos de diversas naturezas na geração de energia térmica para os fornos, acrescentou a ABCP.

Ao comentar o caso nesta terça-feira, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, já havia sugerido que os resíduos que estão sendo armazenados poderiam ser utilizados pela indústria do cimento.

A operação de limpeza das praias afetadas pelo derramamento de óleo, cuja origem ainda não foi identificada, já coletou mais de 600 toneladas do produto no litoral nordestino, de acordo com números divulgados pelo governo brasileiro na segunda-feira.

Fonte: Época Negócios

Câmara Federal

General Girão é Um dos Novos Vice-Líderes na Câmara Federal

Depois de destituir 12 vice-líderes do PSL na Câmara, o novo líder do Presidente da República na Câmara Federal, Eduardo Bolsonaro, nomeou o representante do PSL do Rio Grande do Norte, o deputado federal General Girão, como um dos vice-líderes do governo.

O único problema é a guerra entre o clã Bolsonaro e a direção do PSL, que pode suspender, ou expulsar, os novos líderes nomeados hoje. Entre os líderes Bolsonaristas está Luiz Philippe de Orleans e Bragança, membro da família imperial brasileira, que já foi filiado ao NOVO.

O primeiro vice-líder é Filipe Barros (PSL-PR), e depois: Sanderson (RS), Carla Zambelli (SP), General Girão (RN), Márcio Labre (RJ), Alê Silva (MG), Daniel Silveira (RJ), Chris Tonietto (RJ), Junio Amaral (MG), Bibo Nunes (RS), Bia Kicis (DF) e Luiz Ovando (MS).

Saúde

Americana É 1ª Mulher Curada com Vacina para Câncer de Mama

Vacina

Um novo método de combate ao câncer de mama vem sendo testado nos Estados Unidos e os resultados iniciais do tratamento já estão deixando muita gente entusiasmada. Ainda sob estudo de pesquisadores, a vacina contra o câncer de mama acaba de mostrar o primeiro caso de sucesso, registrado no Estado da Flórida. A norte-americana Lee Mercker foi a primeira paciente a participar de testes clínicos em humanos, realizados pela Mayo Clinic, entidade que tem estudado e desenvolvido a imunização.

Diagnóstico precoce do câncer de mama

Um fator essencial que contribuiu para a cura da doença foi o diagnóstico precoce: Lee descobriu, em março deste ano, o câncer de mama ainda em estágio inicial. Além disso, a americana também mantinha uma vida saudável, com alimentação equilibrada e rotina de exercícios físicos – o que pode contribuir na prevenção da doença.

Durante 12 semanas (três meses), Lee Mercker tomou de três a quatro doses da vacina. As doses eram dadas a cada duas semanas. Nesse período, o tumor da norte-americana foi diminuindo e ela já não apresentava mais células cancerígenas em seu organismo ao final das doses. De acordo com a entidade criadora da vacina, o objetivo da imunização é justamente este: fazer com que o sistema imunológico seja capaz de reconhecer substâncias anormais relacionadas a tumores e, a partir disso, destruir as células cancerígenas, extinguindo o câncer.

Apesar dos resultados positivos, Lee foi submetida a uma mastectomia dupla (cirurgia para remoção das duas mamas) para garantir que o câncer estaria eliminado por completo – já que se tratava de um teste.

Próximos testes

Cientistas da Mayo Clinic apontam que outras duas voluntárias com câncer de mama estão testando a vacina. Por enquanto, os resultados registrados foram promissores somente no estágio inicial da doença. A ideia agora é que sejam feitos novos testes com a vacina em pessoas com câncer de mama em todos os estágios da doença, do mais leve ao mais grave. Dessa forma, a esperança é de que em 2020 também sejam iniciados testes em pessoas saudáveis. O foco será verificar a menor propensão de contrair câncer a partir da vacinação.

Disponibilidade da vacina

Os pesquisadores afirmam que a expectativa é que a vacina interrompa a ação do câncer de mama e de ovário, sendo capaz também de promover a prevenção das duas doenças.

Como as análises estão em fase inicial, é esperado que até 2022 a imunização seja testada em um grande número de pacientes, com diversos estágios da doença. O pesquisador Keith L. Knutson, que lidera o projeto, revelou para a imprensa que acredita que a vacina contra o câncer de mama deve estar disponível em até oito anos, em farmácias e postos médicos.

Ao apresentar algum dos sintomas, procure atendimento médico o mais rápido possível.

Tratamentos

Enquanto a vacina contra o câncer de mama ainda não está disponível, outros tratamentos podem ser indicados:

  • Cirurgia para remoção do tumor ou das mamas (mastectomia).
  • Radioterapia para casos em que o tumor não pode ser retirado ou ainda não se espalhou.
  • Quimioterapia para destruir ou inibir o crescimento das células cancerígenas.
  • Hormonioterapia para impedir a ação dos hormônios que fazem as células cancerígenas crescerem.
  • Imunoterapia para bloquear alvos específicos de determinadas proteínas ou mecanismos celulares que poderiam influenciar no crescimento do tumor.

    Quanto antes o câncer de mama é diagnosticado, maior são as chances de cura pelo fato da doença ainda estar em estágio inicial. Portanto, é importante estar em dia com a mamografia e outros exames de rotina.

Fonte: Terra

Câmara Municipal

Vereadores Fazem Moção de Repúdio

A comissão de saúde de Câmara Municipal enviou hoje para o plenário da Casa uma moção de repúdio contra o fechamento do Hospital Ruy Pereira.

O vereador Fernando Lucena (PT), lembrou que não houve interdição dos Bombeiros e sim sugestão de readequação.

Já o vereador Cícero Martins (PSL), comparou o hospital Ruy Pereira com um campo de concentração, sem nenhuma dignidade.

O fechamento do hospital Ruy Pereira tem agora o segundo episódio, sempre com as más notícias dadas pelo secretário Cipriano Maia. A governadora? Não só joga para Cipriano, mas também joga para a platéia, como de praxe.