Opinião

Mais Um Novo Começo

Um novo momento das casas legislativas começa hoje, nos estados em cada Assembléia Legislativa, na Câmara Federal, no Senado Federal, e até mesmo nas Câmaras Municipais, com mudanças na sua composição.

O Rio Grande do Norte tem uma significativa mudança na sua bancada, nas suas assessorias, tão importantes quanto os eleitos. Tem vantagem quem consegue contratar assessores com mais conhecimento do funcionamento das casas legislativas. O deputado, ou senador, perde menos tempo nos trâmites dos seus projetos.

A roda gigante do poder também movimenta o time que aprendeu a conviver com os nomes conhecidos da política e já não vive mais sem eles. Quem estava de um lado, vai para o outro, por uma questão de afinidade pessoal, sobrevivência/”sobrevivência” ou esperteza.

Por afinidade vai quem reconhece no novo chefe semelhanças seja nas ideias, no comportamento. Por sobrevivência vai quem até nem concorda com tudo do novo chefe, mas precisa do salário para viver (o óbvio); já o da “sobrevivência” é aquele que usa a palavra para permear varias situações e não ser questionado. O esperto é aquele que muda de lado, de ideia, de camisa, para continuar sua ligação com poder, e muitas vezes sua arrogância travestida de humildade precisa arrotar essa “sabedoria” e impressionar, ainda que morta negando.

O poder embriaga. O embriagado, quando perto de quem tem o poder que pode, faz parecer que o bêbado também pode, faz parecer um iluminado, abençoado dos céus.

O tempo dirá os caminhos da bancada potiguar, de quem se deslumbra, de quem produz, da equipe que trará melhor resultado para um estado falido, sem norte, e sem sorte. Que as vaidades possam ficar fora das discussões, das ações, assim como os interesses pessoais e partidários. O povo de RN não tem partido, tem urgência, tem fome de soluções.