Eleições 2018, Opinião, Política

Correria, “Inaugurações” e Criação de Boataria

Robinson-Faria

Não se entende bem o que houve desse dia 05 para dia 06 de junho. Não, o assunto não é Copa do Mundo. É, para variar, política e suas peculiaridades!

Nesta quinta-feira, 05, o governador Robinson tentou fazer o dia ter mais de 24 horas para “inaugurar” várias obras. Foi base móvel da polícia, militar e rodoviária estadual, foi visita ao interior para fazer o que ele sempre faz, política fingindo ser ação governamental. Depois voltou para Natal e deu entrevista à 98 FM e só depois foi “inaugurar” o viaduto da Redinha, uma parte do Pró-Transporte.

Vamos por partes. As bases móveis, diz o Governo do RN, são 23 espalhadas pelo estado e compradas com mais um empréstimo ao Banco Mundial (se alguém souber o valor atualizado desse empréstimo, favor fazer contato). Uma base móvel foi entregue onde funcionava um prédio da Polícia Rodoviária Federal, que foi totalmente derrubado. Ninguém se importou em fazer alguma estrutura física para os policiais que por acaso fiquem no local, inclusive com banheiros; e além disso, os policiais são alvos fáceis para criminosos porque ficam em área aberta, expostos ao sol e chuva. Segundo o marketing do governo, ficará uma van e duas viaturas nesses lugares, sendo assim todos imaginam que teremos muitas viaturas rodando nas ruas, combatendo o crime, com os giroflex ligados o tempo todo, imposto por decreto. Ao passar na ponte de Igapó entre 08 horas e 09 horas do dia 05 de julho, já não havia mais base móvel, que depois foi explicada que era fixa… Mas móvel. Depois tantos comentaram sobre o sumiço da base móvel fixa, que ela voltou e deixou os policiais abrigados do sol embaixo das árvores.

Depois soube-se, e aí ninguém sabe verdadeiramente se era boato, que o governador Robinson Faria não teria entrado em Enxu Queimado, distrito de Pedra Grande, por causa de protesto de servidores. Não se sabe também se não deixaram ele entrar ou se ele refugou, mais conhecido como “amarelou”.

Ao dar entrevista em Natal, o governador foi perguntando por seus dois adversários diretos: Carlos Eduardo (PDT) e Fátima Bezerra (PT). Sobre Carlos Eduardo ele disse que é um candidato raivoso, antipático, e era um Alves, e que não fez nenhuma obra por Natal, e ainda soltou, ou criou, um boato que Carlos Eduardo, em uma rádio em Apodi, teria dito na que demitiria servidores para deixar a folha de pagamento em dia. Ao falar sobre Fátima Bezerra, o governador disse que ela não faz nada pelo RN e não conhece como funciona o Executivo, só sabe o que é o legislativo.

Ora, Robinson Faria a cada entrevista demonstra que nada aprendeu com os anos em que fez o potiguar de cobaia. Primeiro, criar um boato e ele mesmo espalhar com seus parceiros para enganar o povo, demonstra que já vinha fazendo política e que está incomodado com sua terceira posição na escolha do eleitorado, sendo assim, resolveu atacar seus adversários fingindo análise sobre eles. Depois, com o tom, sorriso debochado (quem viu a entrevista no Instagram sabe), falar tanto de Alves e Maia, e esquecer o quanto foi ajudado por eles, é de uma memória seletiva inigualável. Aliás, o governador, que segue falando em terceira pessoa, ainda não descobriu que Antônio Jácome fará a dobradinha com Garibaldi Alves. Não pareceu que tratava só de questões de governo nesse meio tempo, mas que focou apenas nesse discurso de família tradicionais, como a dele, e discurso desatualizado pelas mudanças em uma chapa adversária. Reconheceu que Carlos Eduardo tem experiência no Executivo, mas disse que o pré-candidato do PDT “só” administrou Natal, falando até com um certo desdém, com apenas 700 ou 800 mil habitantes, e que Robinson foi prefeito e governador ao mesmo tempo, e governador de 3 milhões e meio de habitantes de um estado grande como o Rio Grande do Norte (palavas do governador, um surfista quase profissional).

Segundo, falar que a senadora Fátima Bezerra só entende de legislativo, que nada fez pelo RN e que só fala de assunto nacional, é de imensa ingratidão, afinal, foi com o apoio do PT, com o apoio da mobilização petista, com alguns programas eleitorais ao lado de Lula que Robinson foi eleito. Mais que isso, ele aponta para ele mesmo quando diz que a senadora só entende de legislativo, afinal, quem é vice, se for como ele fez, não tem conhecimento algum do que é o Executivo, não toma decisões, não participa de reuniões que mude a vida dos cidadãos. Ou seja, ele não estava preparado para ser gestor, para ser o comandante do Executivo, porque, segundo o discurso dele próprio, Robinson só conhecia o legislativo.

E à noite, a “inauguração” do viaduto da Redinha, obra do eterno Pró-Transporte. Na verdade, ao que se percebe é que foi “inaugurada” a pista que liga a Redinha até Extremoz, o que facilita a vida dos turistas, que não entram mais pela zona norte de Natal. Segundo o direitor do DER, General Fraxe, o viatudo da Redinha é uma obra chamada de Etapa 1, e tem 80% da obra concluída (e prevista para acabar em outubro de 2018), já o governador diz que tudo foi entregue 100%. Pelo que se sabe, essa Etapa 1 é 15% do Pró-Transporte, e ainda falta muito pra ser feito, inclusive na Moema Tinôco, Av. Tocantínea, Av. das Fronteiras (incluindo a rotatória na Av. Itapetinga) e sua duplicação, e o anel viário no “gancho” de Igapó.

Viaduto Redinha gabinete civil
Foto: Dinarte Mariz. Exposta no Instagram do Gabinete Civil (@gabinetecivilrn) e feita pela manhã, porque até esse momento não tem nova foto do local em nenhum perfil oficial do Governo.

O governador do Rio Grande do Norte, disse várias vezes que cumprirá a lei eleitoral. É o que se espera de todos, que cumpram a lei! Robinson Faria tem rejeição de 51% dos potiguares para a reeleição, e seu governo tem reprovação de 85% nas terras de Poti, segundo pesquisa feita pelo Blog do BG/98,9 FM/Instituto Consult. Agora que assumiu sua pré-candidatura, resta saber como os partidos que já anunciaram apoio, sem ele pensar em política e reeleição, discursarão para justificar o apoio ao que os cidadãos rejeitam. Talvez o caminho seja usar o discurso de perdão, perseverança porque Robinson aprendeu muito, humildade (depois de já dizer em 2014 que seria o melhor governador da história do RN), e mais de 1.200 obras que o povo não conhecia e também não sabe onde achar essa lista das 1.200 obras e após rever conceito sobre “obras” e obras, afinal, é só lembrar que o evento Campus Party foi carimbado como obra do Governo do RN, quando na verdade teve apoio, como acontece em outros estados. Que cartas colocadas na mesa, o Ministério Público Eleitoral tenha os olhos atentos para todos, com os mesmos critérios, e sem compaixão.