Uncategorized

MEU SERIDÓ Estreia em São Paulo pelo Projeto Palco Giratório, no Sesc Bom Retiro

Dirigido por César Ferrario e com dramaturgia de Filipe Miguez (autor da novela Cheias de Charme), o espetáculo teatral “Meu Seridó” apresenta um recorte sobre a origem e os costumes da região do Seridó, no sertão norte-riograndense. Com músicas e canções executadas ao vivo e boas doses de humor e teatralidade, a peça traz fortes questões norteadoras como a condição da mulher no sertão, a extinção do indígena em detrimento do boi e a desertificação, na luta diária pela sobrevivência como força bruta do ser. Como o próprio autor escreveu: “A nossa história acontece em algum lugar entre a realidade, o delírio e a nostalgia”. 

É com essa linguagem universal, que o espetáculo chega ao Sesc Bom Retiro, para curta temporada de três espetáculos, nos dias 02, 03 e 04 de agosto, com ingressos a preços populares. São Paulo é uma das 47 cidades do Brasil que receberá a peça da Casa de Zoé (RN) através do programa Palco Giratório Sesc 2019, considerado o maior programa de difusão e circulação de artes cênicas do país. 

“O Palco Giratório tem uma importância gigante para a gente em vários aspectos. Tem a questão da obra em si, de poder falar de um recorte da história singular de um lugar, que é o Seridó no Rio Grande do Norte, mas descobrir, nesta história, a história universal da exploração do homem sobre a terra, sobre o outro, sobre o desejo de conquista”, disse a atriz Titina Medeiros.

Sobre Meu Seridó

Meu Seridó nasce do desejo da atriz Titina Medeiros de investigar e versar seu lugar de origem, a região do Seridó, no sertão do Rio Grande do Norte. Natural de Acari, Titina sonhou com esse espetáculo por anos, reunindo as suas vivências e coragem para retirar do próprio solo a história de vida de muitos sertanejos. Idealizado como um espetáculo solo, possível de caber numa mala e se apresentar em alpendres e terreiros de comunidades rurais, o espetáculo ganhou maiores proporções com a chegada do dramaturgo Filipe Miguez e do diretor César Ferrario. 

Acompanhada pelos atores Nara Kelly, Igor Fortunato, Caio Padilha – assinando também a trilha sonora – e Marcílio Amorim, Titina fez ao lado da equipe uma árdua pesquisa histórica, conduzidos pela pesquisadora Leusa Araújo, através de imersões no próprio Seridó. 

Para o diretor César Ferrario, a narrativa é constituída por uma linguagem de cunho popular para chegar em todas as pessoas e lugares, e tem uma estrutura que permite a montagem em ruas, fazendas, praças e diferentes paragens. “A nossa narrativa não tem um compromisso histórico. Ela tem seu início através de uma menção ao plano mítico do Seridó, onde o Sol e a Terra disputam o amor de Chuva, uma fábula muito coerente com as questões que atravessam toda a história de qualquer lugar sertanejo e seu imaginário. A partir disso, ela transita pela história do Seridó em seus espelhamentos terrenos, desde a chegada do homem andino até a vinda do vaqueiro e do português. O entrelaçamento dessas raças perpassa as histórias que vão sendo contadas ao longo do espetáculo”, conta César.

São essas questões, forças e vidas que estão bordadas num figurino, cenografia e caracterização assinados por João Marcelino, parceiro de longa data de Titina com quem trabalhou no grupo “Tambor” ainda na década de 90. A iluminação é feita por Ronaldo Costa e a produção executiva é de Arlindo Bezerra, da Bobox Produções.

Foram 08 meses de montagem, 25 profissionais envolvidos entre artistas, produtores, técnicos e equipe de comunicação e uma bem sucedida temporada de estreia, itinerante, na rua e gratuita, por 7 bairros de Natal, atraindo um público de 5.000 espectadores.  E em 2019 começou a circulação pelo projeto Palco Giratório, já tendo passado pelos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais e o Distrito Federal, atraindo uma excelente repercussão de público e crítica. 

www.instagram.com/CasadeZoe

www.casadezoe.com.br

Saúde

Vacina contra o HIV será Testada em Humanos pela Primeira Vez no Brasil

Uma vacina contra o HIV será testada pela primeira vez no Brasil e em mais sete países da América e Europa em 2019. A equipe responsável por estes estudos, que integra o Projeto Mosaico, anunciou nesta terça-feira (23) que testará a vacina nos EUA, Argentina, Brasil, Itália, México, Peru, Polônia e Espanha.

A especialista apresentou os próximos passos do projeto na 10ª Conferência da Sociedade Internacional da Aids sobre a Ciência do HIV (IAS 2019), que terminou nesta quarta (24) na Cidade do México.

“Quando tivermos os resultados sobre esta fase do projeto, vamos juntá-los ao anterior Imbokodo, realizado no continente africano. Esperamos poder consolidar todos os dados dentro de dois anos. Os resultados iniciais do Imbokodo devem ser liberados no final de 2021 e os do Mosaico, que esperamos começar ainda este ano, serão divulgados em 2023.”

Testes em escala mundial

A pesquisa trabalha com um conceito de vacinas desenvolvidas a partir de um “mosaico” de antígenos. A imunização comprime uma seleção de subtipos do HIV para induzir respostas imunológicas contra a maior parte das variações do vírus presentes no mundo.

Os subtipos são mais ou menos predominantes de acordo com as separações geográficas. No sul do continente africano, o mais presente é o subtipo C, já na Europa e nas Américas o vírus do subtipo B predomina.

Participantes desta fase de testes receberão, além das quatro doses da imunização, um pacote de prevenção contra o HIV que inclui o acesso a medicamentos de Profilaxia pré-exposição (PrEP). 

Publico alvo dos estudos

Os testes se concentram em populações de risco. Nos experimentos em território africano, foram as mulheres que receberam a vacina. De acordo com a Agência das Nações Unidas de Luta contra a Aids (Unaids), naqueles países, elas representam quase 60% dos casos de incidência da doença.

Na Europa e nas Américas o perfil é outro. Entre o grupo de risco estão, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, homens que fazem sexo com homens e mulheres trans, que representam dois terços dos novos diagnósticos. Receberão a vacina de teste indivíduos com idades entre 18 e 60 anos.

A pesquisadora norte-americana Susan Buchbinder, responsável pela Rede de Testes de Vacinas contra o HIV (HVTN), comentou em nota que este é um passo importante para o desenvolvimento de uma vacina segura e eficaz.

“Homens que fazem sexo com homens e mulheres transexuais podem se beneficiar enormemente de uma vacina preventiva contra o HIV”, disse.

Fonte: Globo Bem Estar

Livros

Amanhã, quinta, tem o lançamento do Almanaque dos Esportes 2019

O jornalista Dionísio Outeda, o “Gringo”, lança nesta quinta-feira (25), no Temis Clube (sede do América), o Almanaque dos Esportes 2019. A publicação tem 74 páginas em papel couchê e passeia pelo contemporâneo mundo esportivo potiguar, nomes e modalidades muitas vezes fora da grande mídia.

“Foi desafiador produzir uma publicação tão complexa e rica quanto este Almanaque. Contei com um time de jornalistas esportivos especializados nas modalidades, como Fernanda Zauli (surfe), Diego Breno (futebol feminino), Ciro Marques (MMA) além de Fábio Pacheco que organizou outras 18 modalidades comigo”.

Começa no surfe potiguar dos anos 1970 e os pioneiros até os dias atuais, passa pela luta livre até os potiguares consagrados no MMA e os novos talentos do basquete, futebol feminino, paradesporto, badminton, tênis de mesa, karatê e outros.

O Almanaque dos Esportes 2019 é a terceira publicação do selo esportivo Almanaque da Redonda, criado por Dionísio em 2014. A primeira edição trouxe em destaque a Copa do Mundo em Natal, a segunda resgatou 64 jogadores de 1990 a 2018 nas posições de “Xerifes, Artilheiros e Gênios” e esta terceira prestigia o chamado esporte amador.

“Precisamos lembrar também do sacrifício de dirigentes que dedicaram suas vidas a viabilizar e promover competições muitas vezes não compreendidas ou não valorizadas”, comenta o Gringo. “Por isso estamos homenageando ícones do nosso esporte como Magnólia Figueiredo, Roberto Vital, Jamilson Martins, Gileno, Galega e tantos outros que construíram uma linda história no esporte potiguar”.

Lançamento Almanaque dos Esportes 2019

Quinta, dia 25, às 18h

Temis Clube Balcão Bar (sede do América, avenida Rodrigues Alves).

Preço: R$ 50.00

Informações: 99834-3940

Tecnologia

Tóquio 2020: Toyota Apresenta os Robôs que Estarão nas Olimpíadas e Paralimpíadas

O plano de fazer no Japão a Olimpíada e Paralimpíada mais tecnológicas da históriacomeça a sair do papel com os recentes lançamentos da Toyota. A empresa, além de fornecer os carros oficiais dos jogos, faz parte do chamado “projeto robô Tóquio 2020”, que quer levar o envolvimento das máquinas com o evento a um patamar nunca antes visto, além de divulgar para o mundo todo o potencial tecnológico do país sede.

No total, foram apresentados ao público sete robôs, sendo dois deles os mascotes dos jogos. Com diferentes formas e habilidades, eles serão responsáveis por funções diversas, que incluem desde entretenimento até a assistência de visitantes com dificuldades de mobilidade. Como? Veja abaixo as particularidades de cada um deles:

1. Miraitowa e Someity

A versão robô dos mascotes dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 terá como principal função receber e entreter visitantes e atletas. Bastante flexíveis, eles andam por aí e são capazes de mover os braços com facilidade, além de interagir com humanos por meio de câmeras de reconhecimento facial e “olhos” que mostram diferentes expressões. A empresa ainda trabalha com a possibilidade de pessoas comandarem os robôs remotamente.

2. T-HR3

O robô humanoide foi pensado para intensificar a experiência daqueles que não poderão estar presencialmente nos jogos — possibilitando até a interação com atletas. Segundo a empresa, o robô conseguirá sentir e repassar a sensação de movimento. Ao cumprirmentar um esportista, por exemplo, ele irá transmitir a sensação para que os fãs, usando um outro aparelho, passam sentir o aperto de mão.

3. T-TR1

Se os mascotes robôs e o T-HR3 levam as imagens e sensações dos jogos até os telespectadores, o TR1 concretiza a troca de experiências levando até o ambiente olímpico a imagem de um fã do esporte. Com design mais simples, o robô possui uma base de rodas, uma tela vertical e uma câmera no topo. O suficiente para que o sortudo que estiver no comandando da máquina, não só seja visto, mas também se movimente pelas arenas, assistindo a jogos e até conversando com  fãs e atletas.

4.  HSR (Human Support Robot) e DSR (Delivery Support Robot)

Desenvolvidos com o intuito de ajudar especialmente os visitantes com dificuldades de locomoção, o HSR e o DSR serão responsáveis por guiar os telespectadores que compraram assentos nas áreas de acessibilidade e servi-los com comidas e bebidas. Segundo a Toyota, o DSR ainda entregará bebidas e comidas para aqueles que estão em mesas reservadas.

5. FSR (Field Support Robot)

Capaz de seguir outros membros do staff e carregar itens como varas, bolas e pesos, o robô, que mais parece um minicarro autônomo, foi criado para reduzir e acelerar o trabalho da equipe durantes as competições.

Fonte: Época Negócios

Saúde

Cinco Hormônios que Reduzem Conforme Envelhecemos e como Minimizar essa Queda

Eles são responsáveis pelo nosso crescimento, pela nossa capacidade de se reproduzir e também têm a função de promover uma boa noite de sono, regular o apetite, construir músculos, regular as batidas do coração… Pois é, sem os hormônios, seria impossível viver.

Produzidas por glândulas e órgãos, muitas dessas substâncias nos acompanham desde o nascimento até o final da vida. Entretanto, com o passar dos anos o corpo reduz a produção de alguns hormônios, de forma natural e como parte do processo de envelhecimento.

A seguir, mostramos os principais hormônios que diminuem com o avanço da idade e o que fazer para minimizar isso de maneira natural. Vale lembrar que, por ser um processo normal do organismo, não há necessidade de tomar atitudes drásticas para “prevenir” a condição. Mais: o uso de medicamentos para repor qualquer uma dessas substâncias só deve ser feito em casos de distúrbios e/ou doenças, com orientação de um especialista.

“Para um médico interferir em um processo que é natural como o envelhecimento, deve ter muita certeza de que a reposição de determinado hormônio vai fazer mais bem do que mal para o paciente”, ressalta Rodrigo Moreira, presidente da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia).

Estrogênio e progesterona

O que são Produzidas pelos ovários, são os principais hormônios femininos, responsáveis pelo desenvolvimento do corpo da mulher (crescimento dos seios e pelos) e controle do ciclo menstrual, além de preparar a mulher para a vida sexual e fertilização. O estrogênio ainda tem a função de repor o cálcio nos ossos, estimulando o crescimento. Assim, quando há uma redução drástica da substância, a pessoa tem risco maior de desenvolver osteoporose.

Por que a produção reduz Após a menopausa (por volta dos 40 e 50 anos), as mulheres deixam de menstruar e o ovário para de produzir subitamente esses hormônios. Isso porque se não há mais a possibilidade de se reproduzir, para o organismo não faz sentido gastar esforços para fabricar um hormônio sexual.

Como minimizar isso Praticar exercícios regularmente, dormir bem, manter uma alimentação saudável e uma vida social ativa ajuda a minimizar os efeitos gerados pela queda de produção de estrogênio e progesterona, mas não é possível prevenir a redução dessas substâncias. Porém, a endocrinologista Vania Nunes Nogueira, docente do Departamento de Clinica Médica da Faculdade de Medicina da Unesp (Universidade Estadual Paulista), destaca a importância de conversar com a paciente sobre as consequências da menopausa, como as ondas de calor, ressecamento vaginal, perda de massa óssea, queixas depressivas etc. O tratamento é individualizado conforme os sintomas que a mulher apresenta e, dependendo do caso, pode ser indicada a reposição hormonal tradicional.

Testosterona

O que é Principal hormônio masculino, é produzido pelos testículos (e pelas glândulas suprarrenais e ovários nas mulheres, mas em menor quantidade). Esse hormônio está diretamente ligado às características sexuais dos homens, como o desenvolvimento dos órgãos sexuais, a produção de espermatozoides, o engrossamento da voz, o aparecimento da barba e o desenvolvimento dos músculos.

Por que a produção reduz Assim como as mulheres têm uma queda nos hormônios sexuais após a menopausa, os homens sofrem com o mesmo processo na andropausa, mas de forma bem mais lenta e gradual. A redução na produção de testosterona geralmente se torna mais acentuada após os 50 anos. Mas existem casos em que isso pode ocorrer mais cedo, devido a alguma doença, como obesidade e diabetes.

Como minimizar isso Manter uma boa alimentação e praticar atividade física regularmente, especialmente exercícios de força (musculação), não beber e manter o peso controlado ajudam a minimizar a queda no nível de testosterona. Com hábitos saudáveis, são poucos os homens que vão necessitar da reposição da substância –que se for feita sem orientação pode gerar problemas graves de saúde, incluindo câncer.

T3 e T4

O que são Hormônios produzidos pela tireoide, glândula que fica localizada na parte anterior do pescoço. O T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina) atuam praticamente em todos os órgãos do corpo, sendo importantes para a manutenção da temperatura, para a força de atividade do coração, para o funcionamento do intestino, além de essenciais para o sistema nervoso central.

Por que a produção reduz O que se sabe é que pode ocorrer uma baixa muito discreta a partir dos 80 anos, devido ao processo de envelhecimento. Mas o organismo dos idosos se organiza para deixar tudo funcionando de forma equilíbrio, não havendo necessidade, na maioria dos casos, de qualquer tratamento para repor.

Como minimizar isso Uma forma natural de manter a síntese desses hormônios em dia é a ingestão de iodo (presente no sal de cozinha), responsável pela formação das moléculas dos hormônios. Como sempre, ter hábitos saudáveis também é importante.

Hormônio do crescimento (GH)

O que é Produzida pela glândula hipófise, a substância é indispensável durante o período de crescimento –sem ela, a estatura adulta normal pode não ser alcançada. O GH também participa da formação óssea, da manutenção da massa magra (músculos), da diminuição da massa gorda e do sistema cardiovascular.

Por que a produção reduz Ocorre de forma progressiva pois, após atuar no crescimento durante a infância e puberdade, o objetivo principal da substância já foi alcançado. Então, a cada década que passa, ele vai reduzindo mais e mais.

Como minimizar isso Uma forma natural de frear a queda do GH é ter uma vida saudável, como detalha Paulo Rosenbaum, endocrinologistas do Hospital Albert Einstein: “Ter uma dieta rica em alimentos naturais, fazer ao menos 30 minutos de atividade física cinco vezes por semana e dormir bem é sempre essencial. Além disso, é importante evitar o cigarro e os excessos no álcool”. Algumas pessoas utilizam o GH erroneamente para tratar a obesidade, reduzir o processo de envelhecimento e melhorar o desempenho físico. A medicação é contraindicada para esses fins por não ser considerada segura, segundo a SBEM. No esporte, a sua utilização é considerada ilícita (doping) e passível de punição.

Melatonina

O que é Hormônio produzido na glândula pineal, localizada no cérebro. A ação mais importante da melatonina está relacionada ao sono. O hormônio é liberado no começo da noite e ajuda a promover o início do sono. Isso é importante pois um indivíduo que dorme bem tem menos chance de desenvolver diversas doenças, como pressão alta, Alzheimer, diabetes. 

Por que a produção reduz A melatonina, diferentemente de outros hormônios citados acima, tem pouco tempo de estudo, mas acredita-se que a produção começa a diminuir a partir dos 50 anos e, segundo a SBEM, o nível da substância em idosos é até 75% menor do que em jovens. Ainda não se sabe exatamente o motivo disso. Mas é certo que pessoas mais velhas precisam de menos horas dormindo, já que o corpo se desenvolveu completamente e o organismo tem menos “trabalho” durante à noite para construir e reparar tecidos, fabricar hormônios etc.

Como minimizar isso É importante ter uma rotina de sono: ir se deitar e acordar todos os dias no mesmo horário, evitar usar aparelhos eletrônicos que emitem luz (celular, computador) ao menos uma hora antes de dormir e fazer atividades no fim do dia que relaxam (ler um livro, meditar). Praticar exercícios físicos (nunca muito próximo do momento de se deitar) também ajuda a ter uma boa noite de sono.

Fonte: UOL Viva Bem

Entretenimento

Claro Encerra Marca NET e Incorpora TV por Assinatura e Internet Fixa

Diga adeus à NET. Não, ela não vai fechar, mas a marca deixará de ter atuação independente, de acordo com um comunicado enviado à imprensa. Ela vai dar nome aos serviços da Claro voltados para o segmento residencial, como telefone fixo, internet banda larga e TV por assinatura.

Segundo a empresa, os planos e os canais de atendimento continuam os mesmos, e lojas, sites e aplicativos serão atualizados com a mudança. Como a nota do TechTudo, o app Minha NET já mudou de nome e aparece nas lojas de aplicativos como Claro Residencial. Já o Tecnoblog nota que o site da operadora já incorporou as ofertas de TV e internet fixa.

O Claro Clube, que oferece descontos e programa de pontos, passa ser um programa integrado de benefícios para todos os serviços — quem é assinante NET, portanto, passa a pontuar.

Os produtos e serviços da NET para pequenas e médias empresas passam para o portfólio da Claro Empresas, enquanto a marca Embratel continua a ser usada nas soluções corporativas.

Claro e NET fazem parte da mesma empresa desde 2015 e oferecem juntas o chamado Combo Multi desde 2011. Elas (e a Embratel) fazem parte do grupo mexicano América Móvil.

Fonte: Gizmodo

Cultura

Agenda Cultural do Final de Semana

Confira a agenda cultural do final de semana:

CENTRO COM SAMBA, AUDIOVISUAL E CULTURA POPULAR

Neste sábado (13) tem o projeto Samba no Beco, dentro do edital de revitalização lançado pela Prefeitura do Natal. A partir das 14h, no Beco da Lama (Vaz Gondim e Coronel Cascudo), tem show de Luciano Queiroz e às 16h o “Coco no pé, bata palma que a gente resolve com Coco” de Rosa e Catumbi. Às 18h tem “Estação do Cordel vai a Praça”, uma ação de Cultura Popular na Praça Padre João Maria. Às 20h, também na Praça, tem exibição de Curtametragens dentro do mesmo edital Centro Histórico. No Espaço Cultural Ruy Pereira, que está passando também pelo processo de revitalização comandando pela Prefeitura do Natal, tem banda Rojão, a partir das 18h e no Bar do Naldo tem show de Irahn Barreto, a partir das 20h.

DOMINGO NA CIDADE DA CRIANÇA
A temporada 2019 do projeto ‘Domingo na Cidade’ continua a todo vapor e agitando as férias da criançada. A alegria e a diversão pedem passagem e seguem ocupando a Cidade da Criança neste domingo (14). Dança, música, teatro, lazer, gastronomia, saúde e muito mais sempre a partir das 15h. Neste domingo tem aulas de Zumba Kids com Tio Salsicha e Tia Lili, a Brinquedos e Brincadeiras apresenta o grande sucesso da criança, Patrulha Canina, e logo em seguida as 17h a Fun Kids anima o público com um super repertório infanto-juvenil. A programação é gratuita. O acesso a Cidade da Criança custa apenas R$ 2 e crianças até 8 anos não pagam.

SOM DA MATA COM TONI GREGÓRIO

O projeto Som da Mata, incentivado pela Prefeitura do Natal através da Lei Djalma Maranhão, apresenta o guitarrista potiguar Toni Gregório dividindo o palco com o baterista Anderson Melo e Israel Miranda no contrabaixo. No repertório, misturas de ritmos como tango, afro, samba, xote e músicas de vídeo games. ENTRADA FRANCA ao show (acesso ao Parque das Dunas custa apenas R$ 1.00). HORÁRIO: 16h30.

SOM NA CAIXA COM “NOSSO BODÓ”

O projeto Som na Caixa, incentivado pela Lei Djalma Maranhão, apresenta na edição deste domingo (14), o espetáculo “Nosso Bodó”, a partir das 17h30. Na área externa da Arena das Dunas também tem opções gastronômicas e de brincadeiras. Acesso Gratuito.

FESTIVAL CAMOMILA NO PARQUE DAS DUNAS

A segunda etapa do Festival Camomila acontece neste sábado, no Parque das Dunas, a partir das 9h. Incentivado pela Prefeitura do Natal, o projeto reúne em meio à natureza do Parque, atrações culturais a práticas de relaxamento e autoconhecimento. Meditação, yoga, roda de mantras com o CamomilaChá, oficinas adulto e infantil, filmes e música. Além da “Querida Feira” – feirinha de economia criativa com diversos produtos de expositores locais. E para aqueles que desejarem passar o dia no Parque e curtir todo o evento, o local conta com lanchonete e restaurante. Programação completa em http://www.festivalcamomila.com.br. ENTRADA FRANCA ao show (acesso ao Parque das Dunas custa apenas R$ 1.00). HORÁRIO: 16h30.

Todos os projetos incentivados via Programa Djalma Maranhão e editais de fomentos, promovidos pela Prefeitura do Natal.